Skip to content

Futebol de Botão

É com muito prazer que anunciamos uma novidade no SUPER-CON RECIFE-PE 2022!

1ª COPA SUPER-CON DE FUTEBOL DE BOTÃO

SIM! Pela primeira vez no Super-Con, um dos jogos mais clássicos que fez parte da infância de várias gerações de brasileiros está de volta!

O futebol de botão é um jogo simulado de futebol praticado com botões apropriados, que, de certa forma, representam os jogadores e são movidos com o auxílio de uma palheta. Criado em 1930 pelo brasileiro Geraldo Cardoso Décourt, o futebol de botão, primeiro jogava com botões de madeira, passando posteriormente a usar os botões de plástico. Dessa brincadeira de criança surgiu o “jogo de botão”, aquilo que se tornaria o esporte difundido e praticado como modalidade esportiva, apresentando uma diversidade de regras e materiais, tendo adeptos em um grande número de países.

REGRAS GERAIS

1. Medidas (em centímetros)

1.1 Campo: 128 x 90 (dimensão máxima).

1.2 Traves: Feitas de ferro ou plástico, com redes de tecido ou plástico, 12,5 x 8 x 5.

1.3 Goleiro: Feito de acrílico ou plástico, 8 x 3,5 x 1,5 (dimensão máxima).

1.4 Botão: Feito em acrílico (estilo vidrilha), diâmetro entre 4,5 (mínimo) e 5,0 (máximo).

1.5 Bola: Feito em plástico, no formato de um dado, com 0,6 de lado.

  1. Tempo de jogo: Dois tempos de 6 minutos.
  2. Equipes: Cada equipe é composta por 1 goleiro e 10 botões, todos numerados. Não há jogadores reservas.
  3. Início do jogo: Os times devem utilizar em sua formação inicial 5 botões na linha ofensiva e 5 botões na linha defensiva (ver imagem abaixo). A linha defensiva pode ser disposta de qualquer forma, desde que não ocupe a área destinada à linha ofensiva (esta sim, deverá ser disposta obrigatoriamente conforme o desenho abaixo).

Os jogadores decidem no “par ou ímpar” quem iniciará a partida. O jogo deve dar início com os botões que estiverem na marca do círculo central. O time que estiver com a posse de bola terá que dar no mínimo 1 toque na bola antes de pedir o chute a gol. O segundo toque na bola (obrigatoriamente com outro botão) pode ser o chute direto a gol ou o time pode prosseguir a jogada.

  1. Toques: O número de toques é livre, exceto quando houver recuo para o goleiro, que nesse caso só poderá dar dois toques.
  2. Chutes a gol: Somente quando a bola cruzar 100% a linha de meio-campo. Quem estiver atacando deverá avisar ao adversário que irá chutar (“prepara”, “pega”, “coloque-se”, “vai à gol”, “pega, puto!”, etc.) e com qual botão, e assim que este disser que o goleiro está preparado o chute pode ser dado (o goleiro só poderá ficar até a entrada da pequena área, mas caso o atacante vá chutar de dentro dela o goleiro deverá ser recuado para a linha de gol). OBS.: Será considerado gol de goleiro quando, após um chute a gol, a bola bater no goleiro, atravessar o campo e entrar no outro gol.
  3. Lateral, escanteio e gol: só serão marcados se a bola ultrapassar 100% a linha demarcatória.
  4. Faltas: Poderão ser cobradas direto ao gol em qualquer lugar do campo, ficando a critério de quem sofreu a falta cobrar direto ou em dois toques. OBS.: Faltas fora das quatro linhas não serão assinaladas, a menos que uma parte do botão esteja dentro do campo; neste caso, serão cobradas na linha lateral ou de fundo, em dois toques, próximo de onde foi cometida a infração.

No caso do pênalti (falta ocorrida dentro da área), o cobrador deverá primeiro ajeitar o botão que irá chutar, para depois o adversário preparar o goleiro, que deverá ficar em cima da linha de gol.

  1. Expulsão: Ocorrerá quando um botão atingir dois ou mais botões adversários antes de tocar na bola. Como não há suplentes, o botão ficará de fora do restante da partida, retornando no jogo seguinte.
  2. Falta técnica: Quando o jogador não toca na bola e imediatamente dá outro toque para alcançá-la. Será cobrada em dois toques do lugar onde foi cometida a infração.
  3. Cobrança de lateral, escanteio ou falta: Move-se até dois botões para a cobrança (no caso da falta, apenas se ela for cobrada em dois toques). O restante do time permanece imóvel. OBS.: O botão do time que cedeu o lateral/escanteio/falta só poderá ser afastado se estiver exatamente no lugar onde a bola saiu ou a falta foi cometida.
  4. Organização tática: O time só poderá ser organizado por completo no tiro de meta ou sempre que houver um gol. Serão 10 segundos para arrumação do time. Em caso de gol, volta-se à formação inicial da partida (artigo 4), mas no caso de tiro de meta os atacantes poderão ser distribuídos pelo campo todo, desde que hajam no máximo cinco botões entre a área destinada à linha ofensiva e a linha de fundo do lado do adversário (ver imagem abaixo).

No decorrer da partida, o goleiro só poderá ser mexido se for pedido o chute a gol (vale tanto para quem estiver sendo atacado quanto para quem for chutar, a fim de evitar ser surpreendido com gol de goleiro).

  1. Tiro de meta: Pode ser cobrado pelo goleiro ou botão. Nunca pela palheta (mão).
  2. Condução de bola: Se a bola ficar em cima do goleiro ou botão, o mesmo poderá continuar a jogada normalmente, desde que retire a bola de cima do jogador em 3 toques; caso contrário, será marcada falta em dois toques.

Não será permitido que o jogador “costure” o campo, arrastando o botão pelo campo como se o estivesse empurrando com a palheta, ao invés de conduzi-lo da forma correta. Isso será considerado falta técnica, e a posse da bola passará automaticamente para o adversário, com cobrança de lateral no local onde foi marcada a infração.

  1. Mão: Será marcada se a bola bater na mão de um dos jogadores ou se um botão ficar em cima dela.
  2. Bola presa: Se após o lance, a bola ficar entre dois botões adversários e tocando em ambos a posse da bola será da defesa.
  3. “Tabela”: O botão não poderá utilizar as laterais do campo como “tabela”. Caso aconteça será marcado falta em dois toques, exceto caso ele acerte um botão adversário após a “tabela” (neste caso, será falta direta).
  4. Corta-luz, descolar o botão da bola e utilização do dedo: É permitido tirar o botão do mesmo time caso ele esteja atrapalhando o chute a gol, afastando-o para o lado; se ao afastar o botão, o mesmo tocar em um botão adversário, será marcada falta em dois toques. A utilização do dedo é permitida, apenas no chute a gol (exceto pênalti) e desde que a bola não toque nele, o que constituirá falta para o adversário. Não é permitido descolar o botão da bola com a palheta ou dedo, tal separação deverá ser feita conduzindo o botão normalmente.
  5. Final de jogo: O jogo só terminará quando o alarme do temporizador disparar, decretando o seu término. No entanto, se um dos jogadores tiver avisado que vai chutar a gol ou houver sido marcada falta (tiro livre direto) antes de disparar o alarme, o lance deverá ser concluído.
× Podemos te ajudar?